domingo, 11 de outubro de 2009

Paulo Autran sem comentários


Estive colocando as coisas no lugar, após a mudança. Remexi livros e sempre tem aqueles achados...coisas que a gente esquece e que é uma delícia reencontrar. Sou meio apegada a certas lembranças. Tenho algumas que não quero esquecer, "nunca, nunquinha", como diria a Lola (a irmanzinha do Charlie.Sim, eu adoro esse cartoon). Achei o livro "Paulo Autran sem comentários" (Cosac Naify, 267 páginas). Trata-se, como o próprio ator explica, de uma obra com "fotos, trechos de crítica e comentários bem-humorados, que me vinham à cabeça ao ver as fotos". É lindo o livro. Para mim ficou ainda mais precioso pelo autógrafo, escrito em 10 de março de 2006.
Recordei dos dias em que trabalhamos juntos.

Fiz assessoria de imprensa do espetáculo "Adivinhe quem vem para rezar", na passagem da montagem por BH. Acompanhei o respeito e a delicadeza com que Cláudio Fontana, seu parceiro na peça, tratava o doce e astuto, Paulo Autran. Sabendo que iria estar com o Paulo, comprei o livro imediatamente, na intenção de eternizar o encontro. Lembro que o jornalista Paulo Azevedo, do programa Agenda, da Rede Minas (afiliada da TV Cultura em BH)também levou esse mesmo livro para o ator autografar. E o Autran ficou muito feliz com a entrevista: "você leu mesmo este livro, hein rapaz!? sabe tudo sobre mim".

Foram dois dias de trabalho inesquecíveis. Almoçamos sozinhos e ele sempre interessado em saber quem eu era. Só não gostava de atraso. Na saída do hotel, marcada para às 11h20, para uma entrevista à Globo Minas, recordo que cheguei e ele já estava chegando ao carro que nos levaria. "Bom dia, Senhor Paulo! Ia me deixar?". Ele: "Claro que não...Te esperaria mais um minuto."

Nenhum comentário: