terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Aspas de Caio Fernando Abreu

(..) "É que nossa "profissão" (aspas intencionais & irônicas) de escritor na verdade não tem muitas vantagens objetivas. Até hoje, cinco livros publicados, 34 anos, me debato todos os dias para sobreviver e para não desistir. Nélida Piñon costuma dizer que, de alguma forma, todos os dias alguém bate à nossa porta e nos convida a desistir. Não desitimos de teima quem sabe até mesmo burra. Mas gosto do seu Caminhando na chuva (...)". Trecho da carta de Caio Fernando de Abreu a Charles Kiefer, em 16-11-1982. Está no livro Cartas - Caio Fernando Abreu (Editora Aeroplano), organizado por Italo Moriconi.

Nenhum comentário: