quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Os melhores livros da década

Nesta semana, o jornal O Globo apresentou sua lista dos dez melhores livros de ficção ou poesia publicados por autores brasileiros nos anos 2000. Dez dos mais importantes críticos literários do país fizeram a eleição. Pela ordem dos mais votados, temos: Dois irmãos (Companhia das Letras - 2000, 266 pp., R$ 44,50), de Milton Hatoum, seis votos; Nove noites (Companhia das Letras - 2002, 152 pp., R$ 19 – 2006 Ed.Bolso), de Bernardo Carvalho, cinco; O voo da madrugada (Companhia das Letras - 2003, 248 pp., R$ 44,50), de Sérgio Sant’Anna, e Eles eram muitos cavalos (Record - 2007, 160 pp., R$ 32,90 ), de Luiz Ruffato, empatados com quatro; Elefante (Companhia das Letras - 2000, 152 pp., R$ 38), de Francisco Alvim, Máquina de escrever (Nova Fronteira – 2003, 608 pp.), de Armando Freitas Filho, Acenos e afagos (Record 2008, 208 pp., R$ 32,90), de João Gilberto Noll e O filho eterno (Record - 2007, 224 pp., R$ 39,90), de Cristovão Tezza, com três votos cada; e Um defeito de cor (Record - 2006, 952 pp., R$ 82,90), de Ana Maria Gonçalves, e Leite derramado (Companhia das Letras - 2009, 224 pp., R$ 36), de Chico Buarque, com dois votos - ambos estavam empatados com outros cinco livros, e foram escolhidos numa segunda rodada.

Nenhum comentário: