quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Maratona - teatro, artes plásticas, cinema, música e literatura

O cenário cultural em BH não pode estar melhor. Tem programação para todos os gostos e idades. Tenho presenciado as mais diversas manifestaçõe da arte, isso só na última semana.

No teatro, está no ar dois importantes festivais : Campanha de Popularização do Teatro e da Dança e o Verão Arte Contemporânea. "Cheiro de Chuva", com Christiane Antuña e Omar Jabur, traz um texto forte, divertido e sensível, que narra lembranças, pensamentos e diálogos de uma professora de dança e seu aluno. Tudo se passa o último dia de aula de de um homem que foi levado pela mulher a uma escola para aprender a dançar. Daí, surge a paixão proibida entre aluno e professora, que usam a mudança do tempo como ponto de partida para a conversa. Cenário simples, com um grande paredão que hora faz parecer uma academia com espelhos, ora até deixa de existir. O jogo de luz é importante na marcação das cenas.

Nas artes plásticas, a abertura da exposição de Eduardo Kac, com a presença do artista, traz obras criadas entre 1982 e 1998. Trabalhos que exibem poesia digital e a videoarte. Há peças para o público interagir utilizando um mouse, muda formas e posições de objetos. Num enorme cone, poemas surgem, montados e desmonatdos, podendo você entrar na frente do refletor e se cobrir de letras. Não espere encontrar as obras que consagraram o artista, como a “GFP Bunny” – a coelha fluorescente em verde. Até o dia 7 de março, na galeria de arte do Espaço Cultural Oi Futuro.

Na música, a banda The Cranberries ficou impressionada com as 5,5 mil pessoas que esgotaram os ingressos do Chevrolet Hall. Eles (nós) não só compraram os tickets como fizeram coro em todas as canções. Dolores O’Riordan entrou com a bandeira de Minas amarrada ao pescoço, levando o público a soltar a voz em How, seguidas dos principais hits do grupo. Para quem gosta de bastidor, a turma ficou na cidade por mais dois dias, visitou Ouro Preto e cachoeiras dos arredores.

Zeca Baleiro passou pelo Teatro Alterosa, para piloto do programa “Palco Guarani”, da Rádio Guarani. Um bate-papo, com participação da plateia e de internautas. Conversas à parte, o publico curtiu mesmo foi o pocket show exclusivo de mais de 40 minutos.

No cinema, crianças e adolescentes aos berros na pré-estreia de High School Musical Brasil, no Cinemark. Três atores davam autógrafos, tiravam fotos e animavam a turma antes da exibição. Um pouco desajeitados com a “fama”, sem saberem ao certo como posar, o que dizer ou escrever nos caderninhos dos fãs. Um grande novelão a la Disney, com lindos jovens dançando, cantando e paquerando.


Na literatura, deixe-se fisgar pelo conto “A Dócil” de Fiódor Dostoiésvski. Preciso, digno de uma montagem teatral. “... Pois enquanto ela ainda está aqui – tudo bem: me aproximo e olho a cada instante; só que amanhã vão levar embora e – como é que eu vou ficar sozinho?” Encontra-se no livro Duas Narrativas Fantásticas – A Dócil e O Sonho de Um Homem Ridículo, tradução de Vadim Nikitin, Editora 34.

Um comentário:

Anônimo disse...

Delícia de blog Jô! Sucessso e bjão! Ana Luísa Alves