quarta-feira, 17 de março de 2010

Poesia, solidão e literatura por Rubem Alves

Pela segunda vez presenciei o Sempre Um Papo com Rubem Alves. No mesmo Palácio das Artes, em Belo Horizonte, mais uma vez, o escritor foi aclamado pelo público literalmente apaixonado por ele, com frases do tipo: "Antes, Rubem, eu te admirava. Hoje, eu posso dizer com todas as letras: eu te amo!". No palco, confessou para os cerca de 700 leitores, sua angústia de envelhecer: "isso de melhor idade é uma mentira, quem está com 75 anos como eu, está é na pior idade". A solidão o incomoda e a literatura e a escrita são suas grandes companheiras. Esteve de encontro com a morte no ano passado, passando por cirurgia que lhe rendeu um corte do pescoço ao umbigo. Falou sobre o encanto da poesia e da leitura e lançou o livro Sobre Reis, Ratos, Urubus e Pássaros. "As palavras são capazes de te transportar para diversos lugares, te faz atravessar mares, além de remover as mais profundas lembraças". Fotos de Jackson Romanelli.

Nenhum comentário: