sexta-feira, 22 de julho de 2011

Leite Derramado - 2

"Cuidei pessoalmente da remossão de mamãe, vim com ela cuidadosamente na traseira da ambulância, sem tirar os olhos de seus olhos baços. (...) Mas já no dia seguinte, sem sobressaltos, simplesmente deixou de respirar. (...) Já para o jardineiro do casarão, mamãe era mesmo como a flor, que ao mudar de vaso, às vezes fenece."

"Somente hoje, oitenta anos passados, como um alarme na memória, como se fosse azul-celeste a cor de uma tragédia, reconheço na mulher o vestido rodado que meu pai comprou na véspera."

"Era como se, no silêncio da noite, Matilde passasse para buscar suas coisas no rosto da filha, em vez dos vestidos no armário ou dos brincos na gaveta."

"Se com a idade a gente dá para repetir casos antigos, palavra por palavra, não é por cansaço da alma, é por esmero. É para si próprio que um velho repete a mesma história, como se assim tirasse cópias dela, para a hipótese de a história se extraviar."

Leite Derramado - Buarque, Chico (Companhia das Letras) 

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Leite Derramado

"E qualquer coisa que eu recorde agora, vai doer, a memória é uma vasta ferida."

"Nem parei para pensar de onde vinha a minha raiva repentina, só senti que era alaranjada a raiva cega que tive da alegria dela".

- Eulálio D`Assumpção - Buarque, Chico, 2009. Companhia das Letras

domingo, 3 de julho de 2011

ApromBH se mobiliza contra a PEC dos Recursos

Os advogados, membros da Associação dos Procuradores do Município de Belo Horizonte – ApromBH -, reúnem-se na próxima segunda-feira, dia 04 de julho, para mobilização contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Recursos, apresentada pelo presidente do Superior Tribunal Federal, ministro César Peluso.
De acordo com o presidente da ApromBH, Luiz Fernando Valladão Nogueira, a PEC elimina, na prática, o acesso à entrada de recursos aos Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao  Supremo Tribunal Federal (STF). “Com essa eliminação, invibializa-se a uniformização da interpretação do direito federal. Ou seja, os tribunais e seus órgãos fracionados julgarão, cada um, conforme seu entendimento, trazendo grave instabilidade e insegurança aos jurisdicionados. Para os municípios, tal situação é ainda mais grave pois, alguns, por exemplo, estarão acobertados para cobrar um tributo, enquanto que outros não poderão fazê-lo, tendo em vista a divergência de entendimento”, avalia Valladão. O advogado completa que, o acesso ao STJ e ao STF evita que situações idênticas tenham tratamento diferenciado.

Na foto, o presidente da ApromBH, Luiz Fernando Valladão Nogueira