terça-feira, 9 de agosto de 2011

Você tem razão: nunca nos livramos do vazio - Frases em Ribamar, de José Castello

(...) "Estou de pé, isso não lhe basta? (...) Sou isso: um homem que se desfaz. E você me assiste".

(...) "Busco  palavras que, arredias, me fogem. As ideias falham e começo a sentir medo, não de você e de sua morte, mas de mim e de minha vida. Esquecendo-me de você, eu o abraço."

(...) "Você já não precisa de atos - trancos, apoio, abraços -, mas de palavras. Precisa encobrir o presente com a crosta dura do sentido. (...) E cabe a mim, com este coração cheio de sombras, ser o seu sol". (...)

(...) "Você lembra se, no Dia dos Pais de 1973, você deu as eu pai Carta ao Pai, de Kafka? (...)  É uma dessas lembranças nítidas, porque fracassadas. (...) A. me devolveu não um livro, mas um pedaço de minha história. Não sei se ele entendia a gravidade de seu gesto."

(...) "Quando vê que me cansei, diz: "Você pode arrastá-lo para um lado ou para outro. Não importa: ele estará sempre em algum lugar." Você tem razão: nunca nos livramos do vazio."

(...) "Torno-me a sentença que você proferiu."

(...) "Você continua com o rosto mergulhado no jornal, a mesma fome da realidade. Atento, como se, em um breve vacilo, o mundo pudesse lhe fugir. É preciso vigiar o mundo. (...)"

(...) Escritores são solitários. Estou na solitária." (...)

(...) "A expressão peixe morto me choca, pois evoca um assassinato. (...) Peixes, pai, você sabe, morrem pela boca, asfixiados pelas palavras que não conseguem dizer." (...)

(...) Só penso que a mesma coragem também lhe faltou.  (...) Para se debruçar sobre meu peito e chorar pelo que nós dois perdemos. (...) Esse vazio, que agora é só meu, me lembra um ringue abandonado. No fundo da plateia, dois lutadores, abarçados, se encolhem. Nós dois."

Trechos do livro Ribamar, do escritor e crítico literário José Castello. Para mim, palavra em seu lugar perfeito. Editora (Bertrand Brasil).

Nenhum comentário: