quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Grupo Ponto de Partida e Meninos de Araçuaí lançam o DVD do musical Pra Nhá Terra, no Grande Teatro do Palácio das Artes


O musical Pra Nhá Terra terá única apresentação em Belo Horizonte, no dia 27 de novembro, domingo, às 18h. O espetáculo celebra e comemora duas datas marcantes:  os 30 anos do Grupo Ponto de Partida, com patrocínio da Natura e os 10 anos do Teatro em Movimento, que tem o apoio institucional do Instituto Unimed – BH, ambos através da Lei Rouanet. Essa união comemorativa brinda o público da capital mineira com um dos mais elogiados espetáculos brasileiros do repertório do Ponto de Partida. Prá Nhá Terra trata de temas ambientais, por meio do texto do poeta Manuel de Barros. 
Em cartaz desde 2007, o musical Pra Nhá Terra - Grupo Ponto de Partida e Meninos de Araçuaí - é um espetáculo mágico e comovente. Lotou os diversos teatros pelos quais se apresentou e emocionou plateias das mais ecléticas – de netos a avós, de operários a presidentes. Era natural, quase uma exigência, que fosse registrado em DVD.
Pra Nhá Terra é um musical brasileiro que aborda de maneira lúdica e poética as graves questões da preservação ambiental e do desenvolvimento sustentável. Tem texto do poeta Manoel de Barros e do Ponto de Partida, canções originais de Pablo Bertola, Lido Loschi, Júlia Medeiros e Leandro Aguiar, direção musical e arranjos de Gilvan de Oliveira, concepção do Ponto de Partida e dramaturgia e direção geral de Regina Bertola. Leva ao palco e, agora, para a tela, 50 artistas entre atores, cantores, músicos. A combinação desses talentos, da temática e da performance técnica contribuiu para que esse fosse o espetáculo eleito para celebrar os 10 anos do Teatro em Movimento.
Gravado pela Conspiração Filmes, o grande desafio do diretor Sergio Glasberg – Núcleo Conspira Corp - era o de transpor para o vídeo todo o encantamento e o calor que o musical tinha ao vivo. Como o musical, a gravação também teve números surpreendentes - horas de gravação e ensaio, cerca de 200 pessoas envolvidas entre elenco, equipe técnica, produção e equipe de apoio, cinco câmeras, grua, travellings, estúdio móvel para captação de som, ilha de edição, centenas de refletores, meses de edição e pós produção. Para abrigar essa estrutura, a locação não podia ser outra que não o Auditório Ibirapuera, parceiro dessa produção.
Gringo Cardia criou uma embalagem que vira brinquedo, transportando as crianças para dentro do espetáculo. A Biscoito Fino se incorporou ao projeto e fará a distribuição o DVD Pra Nhá Terra, pelo selo Biscoitinho, como um de seus projetos especiais.
O DVD está à venda nas principais lojas do país e também nos sites: grupopontodepartida.com.br . cpcd.org.br . biscoitofino.com.br
 O Espetáculo - Humor e fantasia
A junção do Grupo Ponto de Partida com os Meninos de Araçuaí é algo para não se esquecer jamais. Daquelas experiências de teatro que a gente vai ficando velho e vai sempre lembrando e cada vez a gente tem a sensação de que fica melhor. É muito lindo, é uma emoção inesquecível!
Ulysses Cruz

Para tratar de um tema tão importante de modo atraente para todos os públicos – e ao mesmo tempo evitar um tom didático ou panfletário - o grupo Ponto de Partida misturou elementos de teatro, música, poesia, fantasia e humor. 
Segundo a diretora Regina Bertola, o espetáculo se apresenta “não só como um alerta ou um grito, mas como uma proposta de reconciliação entre o homem e seu ninho. Em todos os lugares em que já se apresentou, ao final, a platéia se coloca como cúmplice na tentativa de restaurar a Terra como lugar apropriado para as borboletas e os meninos.”
 A história é costurada pelas canções que nos conduzem a uma aventura fascinante: encontrar motivos de esperança para que o Tatu, guardião do ventre de Nhá Terra, saia do buraco e permita que, outra vez, a vida se recomponha. 
 Os personagens centrais são os Guardiões da Nhá Terra que, como seus muitos filhotes, são diferentes de tudo que se conhece e nasceram dos caminhos, do ar, da água, do mato, da floresta. Em sua missão se confrontam com jovens humanos da era da internet, do celular, da poluição, do aquecimento global. O que esse encontro desencadeia? Bem, isso é melhor conferir no espetáculo.
Os figurinos de Alexandre Rousset e Tereza Bruzzi ajudam a inventar esses seres que nunca existiram. Os adereços foram construídos com sementes e fibras especialmente trazidas da Amazônia. A luz de Jorginho de Carvalho e o cenário levam às últimas conseqüências a magia do espetáculo.


 Trilha sonora 
Segundo o Ponto de Partida, “as canções originais que passeiam da rumba ao fox-trot, da ciranda ao reggae estão escritas com a marca do nosso tempo e é o legado desses jovens compositores para as futuras gerações. As músicas pesquisadas do cancioneiro do Vale, que vão do coco às folias, as composições “Dois Rios”, de Tavinho Moura, Sérgio Santos e Fernando Brant e “Estrelada”, de Milton Nascimento e Márcio Borges nos comungam com nossa herança.”
 Os arranjos de Gilvan de Oliveira esbanjam diversidade e sofisticação, surpreendendo a quem espera “apenas um produto ou espetáculo para crianças”. A preparação vocal é da Babaya, profissional várias vezes premiada por seu trabalho.






Ponto de Partida
 O Ponto de Partida é um grupo de teatro que comemora, em 2011, 30 anos de atividade. Foi fundado em Barbacena, por artistas que decidiram que não deixariam a cidade, mas também não aceitariam os limites da província. Assim, tornou-se uma companhia de repertório, itinerante, independente, com 20 profissionais em exercício permanente, criou e sistematizou métodos e processos de produção e uma dramaturgia brasileira que sustenta seus 31 espetáculos montados. Apresentou-se pelo Brasil, África, Europa e América do Sul. 
Nestes anos conviveu ou trabalhou com figuras referenciais da cultura brasileira como Milton Nascimento, Fernanda Montenegro, Sérgio Britto, Paulo Gracindo, Jorge Amado, Manoel de Barros, Álvaro Apocalypse, Maestro Ademarzinho, Adélia Prado, Bartolomeu Campos de Queirós, Dori Caymmi e com meninos, operários, policiais, anônimos que marcaram sua trajetória.
Experimentou vivências inesquecíveis em suas viagens. A Angola, em plena revolução. Em Paris, onde representou o Brasil nos 50 anos da Unesco e apresentou-se, anos depois, no Théâtre des Champs-Élysées com os Meninos de Araçuaí e Milton Nascimento. Nas temporadas em Montevidéu, onde conviveu com o lendário diretor do El Galpón, Atahualpa del Cioppo. Em suas andanças pelo interior de Portugal apresentando-se em antigos claustros, ruínas de castelos, teatros centenários, ou em dezenas de espaços por todo o Brasil.
Atualmente o Ponto de Partida é responsável direto pela formação ou o trabalho de 323 pessoas que se dividem e se somam em suas diversas atividades e projetos, como a Bituca: Universidade de Música Popular e os Meninos de Araçuaí.




Meninos de Araçuaí

É um coro criado como ação complementar do trabalho educacional do Projeto Ser Criança mantido no Vale do Jequitinhonha pelo Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento (CPCD), uma ONG que pela excelência do seu trabalho conquistou o reconhecimento internacional e, entre tantos prêmios, o que nomeou seu Presidente, Tião Rocha, Empreendedor Social Brasileiro, em 2007.
Há doze anos, o Ponto de Partida assumiu o trabalho e a direção artística desse coro. Desde então, os Meninos se exercitam num processo de formação permanente com o Grupo. Têm aulas de música, percussão, voz, dança e interpretação e trabalham com grandes artistas mineiros. Montaram, com o Ponto, cinco espetáculos que lotaram platéias por esse mundo afora, apresentaram-se nos espaços mais significativos do Brasil e na França, gravaram dois CDs e um DVD e já dividiram palcos com Gilberto Gil e Milton Nascimento que, desde Ser Minas tão Gerais, está sempre misturado às suas vidas e ao seu trabalho.
E tem mais, com o dinheiro conquistado com vendas de ingressos e CDs, somado aos recursos de outros parceiros do CPCD, construíram e entregaram a Araçuaí um cinema de verdade! Também é conseqüências dessa parceria  a Casa de Morada dos Meninos.
O público conhece o trabalho desses grupos pelo CD Roda que Rola que virou uma referência e que foi considerado por especialistas convidados pela revista Crescer “um dos dez discos que não podem faltar na vida de seu filho”, pelo DVD e o espetáculo Ser Minas tão Gerais, que tem participação especial de Milton Nascimento e pelo próprio Pra Nhá Terra.


Natura, Meninos de Araçuaí e Ponto de Partida

A estreita relação entre Natura, Meninos de Araçuaí e Grupo Ponto de Partida teve início em 1998, quando colaboradores da Natura se emocionaram ao ver uma reportagem de TV sobre o Vale do Jequitinhonha. Impressionados com as dificuldades vividas pelos moradores daquela região, resolveram conhecer de perto a rotina daquela comunidade e aos poucos se desenvolveu uma parceria. Decidiram patrocinar o Projeto Ser Criança, do CPCD, onde nasceu o coro dos meninos.
 O CPCD convidou o Ponto de Partida para preparar esse coro com o propósito dele apresentar-se em São Paulo para os funcionários da Natura, numa cálida festa de Natal. Esse fato transformou a vida de muita gente.
Passados 11 anos, a Natura, o CPCD, o Grupo Ponto de Partida e Meninos de Araçuaí retomaram a parceria anunciando mineiramente que “sonhos não envelhecem”.

 Natura Musical
 É o programa de apoio à cultura brasileira da atura com foco em música. Lançado em 2005, beneficiou projetos de diferentes estágios e processos da música brasileira patrocinando mais de 150 projetos em todas as edições de edital público e seleção direta. Ao todo, 17 estados das cinco regiões do Brasil foram contemplados e mais de 600 mil pessoas beneficiadas. Em Minas Gerais foram patrocinados mais de 80 projetos em todas as edições do Edital Regional.
Entre os selecionados no último Edital Nacional, na categoria Fomento à Música, estão: a cantora Karina Buhr que irá gravar seu segundo CD com músicas inéditas e fará shows de lançamento; a Orkestra Rumpilezz criada pelo maestro Letieres Leite e formada por músicos de percussão e de sopro da Bahia com influência jazzística e inspiração no candomblé; o longa-metragem “Dominguinhos Volta e Meia” – idealizado pela cantora Mariana Aydar - em homenagem aos 70 anos do músico e com a participação de grandes nomes da música popular brasileira; e o Acervo Digital Chiquinha Gonzaga, que vai disponibilizar em um site músicas e partituras pouco conhecidas da primeira maestrina do Brasil. Na categoria Turnê do Edital Nacional 2009, destacam-se os CDs e turnês inéditas de Carlinhos Brown e Vanessa da Mata, lançados em 2010.
No Edital Regional Minas Gerais 2010, foram selecionados o compositor e intérprete Lô Borges que vai gravar um CD inédito; o rapper Flávio Renegado para a gravação de novo CD; o projeto CD-Livro Estórias de Luz II da cantora e compositora Déa Trancoso, do violonista Paulo Belinatti e o fotógrafo Marcelo Oliveira que para o lançamento farão shows em MG; o grupo Graveola e o Lixo Polifônico que grava seu segundo CD e fará shows em Belo Horizonte e São Paulo; a Orquestra Jazz Mineiro que, sob a direção de Nivaldo Ornelas, gravará CD e fará shows com entrada franca em Belo Horizonte e Ouro Preto; e a cantora Dona Jandira que fará dois shows em Belo Horizonte com clássicos de grandes compositores como Noel Rosa, Ary Barroso e Lupicínio Rodrigues, e o resultado deste trabalho será o registro em DVD.
Também já foram patrocinados os cantores Arnaldo Antunes, Lenine, Céu e Marisa Monte. O cantor Marcelo Jeneci que lançou Feito Pra Acabar, seu primeiro CD solo; o grupo Cidadão Instigado e o guitarrista Edgard Scandurra com o projeto Na Área; e o CD Sementeira: Sons da Percussão, de Naná Vasconcelos, Caito Marcondes e Marcos Suzano. A turnê Pra Nhá Terra de 2010, do Grupo Ponto de Partida e Meninos de Araçuaí, também foi patrocinada pelo Natura Musical, no qual, resultou na gravação deste DVD. O filme O Mistério do Samba, lançado em 2008, que conta a história da Velha Guarda da Portela é outro projeto patrocinado pelo Natura Musical.

Em 2010, ao completar 5 anos de existência, o Natura Musical ampliou sua atuação com o lançamento de dois canais de comunicação: o Portal Natura Musical (www.naturamusical.com.br) que reúne conteúdos exclusivos e inéditos de artistas brasileiros; e o programa de Rádio Natura Musical, apresentado pela jornalista Patrícia Palumbo e veiculado, diariamente, nas rádios Eldorado FM (SP), Litoral FM (Santos-SP), e Paradiso FM (RJ).

 Natura
 A Natura é a maior fabricante brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza e líder no setor de venda direta. Criada em 1969 a partir de um laboratório e uma pequena loja em São Paulo, hoje a empresa possui mais de 6 mil colaboradores e registrou no ano de 2010, receita líquida de R$ 5,1 bilhões, um crescimento de 21,1% em relação ao ano anterior. O lucro líquido foi de R$ 744,1 milhões. A Natura está presente no Brasil, Argentina, Peru, Chile, México, Colômbia e França – onde mantém uma loja e um centro-satélite de pesquisa e tecnologia. Na Bolívia, atua por meio de empresa distribuidora. Sua força de vendas é formada por mais de 1,2 milhão de consultoras, sendo mais de 1 milhão no Brasil e cerca de 200 mil no exterior.




Teatro em Movimento
“Tudo que a Rubim Produções faz tem uma seriedade muito grande. O trabalho da Tatyana Rubim difunde o teatro e a cultura de forma inteligente e profunda”. Julia Lemmertz
 O projeto Teatro em Movimento, coordenado pela Rubim Produções, de Tatyana Rubim, foi criado há 10 anos, com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para outros Estados e também pequenas cidades. Inicialmente, atuando em Minas Gerais e seu entorno, valorizando também a produção mineira, o projeto levou a Belo Horizonte e algumas cidades do interior, espetáculos com peso nacional, tendo no elenco atores como Paulo Autran, Debora Bloch, Glória Menezes, Diogo Vilela, Antônio Fagundes, Nicete Bruno, Paulo Goulart, Marco Nanini, Regina Duarte, Ney Latorraca, Tony Ramos, Luana Piovani, Lilia Cabral, Rodrigo Lombardi, Cláudia Raia, Marisa Orth, companhias mineiras como Luna Lunera, Espanca!, Armatrux, 1º Ato e Suspensa, dentre outros. Desde sua criação, foram mais de 150 peças e shows que somam 477 apresentações. Em 2011, o projeto atuou em diversos Estados brasileiros, sendo co-realizador da circulação dos espetáculos do grupo Ponto de Partida nas cidades de Mariana (MG), São Luiz (MA), Vitória (ES) e Aracajú (SE).
Os resultados do projeto vão além da inclusão das cidades na circulação das montagens. A iniciativa possibilita a formação de um espectador mais crítico e de um público mais preparado e habituado a lotar as salas dos teatros. A ideia é consolidar o hábito de ir ao teatro e fomentar a cultura das artes cênicas, por isso os espetáculos acontecem ao longo do ano e não concentrados em um curto período como nos festivais tradicionais. O teatro, sendo um agente de transformação social, é capaz de atuar como um difusor de ideias e de cultura podendo ser usado como um instrumento de comunicação. Para ratificar a potencialidade de transformação social e cultural do teatro e colocar em prática os objetivos do projeto, o Teatro em Movimento ainda promove, sempre que possível, oficinas gratuitas, palestras e workshops para profissionais da área e interessados. Dessa forma, cria-se uma rede de circulação de informação fortalecendo a possibilidade de sustentabilidade do setor cultural.  





Pra Nhá Terra - Elenco 
 Grupo Ponto de Partida
Trupe: Felipe Saleme (Frederico), Júlia Medeiros (Carmela), Lido Loschi (Mestre), Pablo Bertola (Rique)
Guardiões: Ana Alice Souza (Belona, guardiã das sementes), Carolina Damasceno (Matita, guardiã dos bichos cantantes), Dani Costa (Caburé, guardiã dos bichos pequenos), Érica Elke (Zana, guardiã dos bichos pequenos), João Melo (Iacamim, guardião das estações), Lourdes Araújo (Nhá Terra e Apicum, guardiã do mangue), Regina Bertola (Bá, guardiã dos filhotes), Renato Neves (Zéfiro, guardião dos ventos), Ronaldo Pereira (Caapuã, guardião dos bichos do mato), Soraia Moraes (Artemis, guardiã das florestas)
Meninos de Araçuaí
Alan Coelho Souza / Alana dos Santos Souza/ Angêla Dos Santos Ferreira / Charles Soares Coelho/ Cléia Celestino da Silva/ Danyelle Santos Dourado/ Emily Alves Miranda / Felipe Luiz Ferreira / Félix Henrique Pereira Rodrigues/ Hillary Vitória Souza dos Santos / Isadora Dos Santos/ Jamilly Rita dos Santos/ João Batista Fernandes/ Johnny Ferreira de Souza/ Joseph Coelho Dos Santos/ Júnio de Souza Alves/ Karine Montenegro/ Kerliane Pereira Dos Santos/ Layne aparecida Barbosa / Luiz Felipe Soares Pereira / Luiz Fernando Santos Lopes/ Luiz Gustavo Pereira de Castro /Luiza Rodrigues Eugraphio de Mello/ Marcos Vinicius Macedo Silva/ Maria Clara Miranda Pereira/ Matheus Rodrigues de Oliveira/ Michael Douglas Lopes Silva Passos/ Pablo Henrique Alves Barbosa/ Ramon Felipe Souza Santos/ Roseane Caldeira Samuel/ Sara Gonçalves Pereira/ Tainara De Matos Alve/ Tamires Fernandes Oliveira/ Tamires Silva dos Santos/ Thauane Silva dos Santos /T hiago Ribeiro De Souza/ Vitória Ingrid  Ferreira de Jesus/ Yuri Nunes Gonçalves
Banda
Felipe Moreira: teclado e escaleta / Gilvan de Oliveira: violão / Gladston Vieira: bateria / Yuri Hunas: percussão, bateria e flauta doce
Ficha técnica
 Espetáculo
Concepção: Grupo Ponto de Partida / Dramaturgia e direção geral: Regina Bertola / Assistente de direção: João Melo / Texto: Manoel de Barros e Ponto de Partida / Manifesto de Nhá Terra: Regina Bertola / Músicas originais: Pablo Bertola, Lido Loschi, Júlia Medeiros e Leandro Aguiar / Direção musical e arranjos: Gilvan de Oliveira / Preparação vocal: Babaya / Luz: Jorginho de Carvalho / Assistente de iluminação e operação: Rony Rodrigues / Cenário: João Melo, Lido Loschi, Lourdes Araújo / Equipe de cenário: João Melo, Lido Loschi, Lourdes Araújo, Renato Neves, Ronaldo Pereira / Construção do cenário: Sergio Barbosa / Tratamento dos bambus: Lúcio Ventania / Figurino: Alex Rousset e Tereza Bruzzi / Assistentes de figurino: Carolina Damasceno e Érica Elke / Confecção de adereços: Ana Vaz, Fábio Rodrigues, Renata Cabrall, Sâmara Evangelista, Sarah Miller / Confecção dos figurinos: Vera Viol / Assessoria jurídica: Soraia Moraes / Projeto gráfico: Felipe Saleme / Fotos: Kika Antunes, Rodrigo Dai / Produção gráfica: Dani Costa e Júlia Medeiros / Equipe de produção: Fátima Jorge, Júlia Medeiros, Pablo Bertola e Ronaldo Pereira / Administração: Dulciléa Dias e Fernanda Fróes / Parceria: Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento – CPCD / Produção e realização: Grupo Ponto de Partida/ Patrocínio: Natura
DVD
Diretor: Sérgio Glasberg /Assistente de Direção: Bruno Vaks / Diretor Executivo: Cláudio Henrique/ Coordenadora de produção: Renata Brandão / Produtor: Alexandre Mancen /Diretor de fotografia: Marcelo Brasil / Editor: Nani Garcia / Som direto: Murillo Correa e Cia / Gravação e edição de som: Zorro / Equipamentos: Gabisom / Coordenador de Pós Produção: Marcela Alves e Aion Britto /Arte e Composição: Oka Produções  / Atendimento: Shadya Hayek
 Prest’enção!

Lançamento do DVD do musical Pra Nhá Terra, no Palácio das Artes
Ponto de Partida e Meninos de Araçuaí
Dia/hora: 27 de novembro, domingo, às 18h
Endereço: Avenida Afonso Pena, 1537, Centro
Duração: 70 minutos
Classificação indicativa: 04 anos
Capacidade: 1.692 lugares
Ingressos: R$ 30,00 – inteira – R$ 15,00 – meia entrada (conforme a Lei)
Funcionamento da bilheteria: segunda-feira a sábado, das 10h às 21h e aos domingos e feriados, das 14h às 20h
Informações:

Assessorias de imprensa

Assessoria de imprensa Grupo Ponto de Partida e Meninos de Araçuaí / Teatro em Movimento
AB Comunicação: Jozane Faleiro e Afonso Borges
31 92046367 | 3261.1501 - jozane@ab.inf.br

Assessoria de imprensa Natura Musical
Marra Assessoria de Comunicação Ltda.
11 3258-4780- Paulo Marra - marra@paulomarra.com.br
Luciano Pereira - pereira@paulomarra.com.br

Nenhum comentário: