segunda-feira, 18 de março de 2013

Teatro em Movimento traz Bibi Ferreira a Belo Horizonte


“Bibi – Histórias e Canções” celebra seus 70 anos de carreira, com participação inédita da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, no Palácio das Artes


Sucesso absoluto de público e crítica nas temporadas no Rio, São Paulo e Lisboa, Bibi Ferreira chega a Belo Horizonte com seu “Bibi – Histórias e Canções” para encantar o espectador mineiro, por intermédio do projeto “Teatro em Movimento”.  Aos 90 anos, Bibi esbanja talento, fazendo das apresentações, pura poesia. Com seu humor perspicaz, a atriz faz, na companhia de seu maestro, Flávio Mendes, uma encenação prazerosa para os ouvidos e para a alma.  As músicas ecléticas em diversos gêneros e idiomas são intercaladas por histórias que nortearam a vida da artista nestas sete décadas de carreira. A diva maior do teatro brasileiro será acompanhada pela Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, regida pelo Maestro Flávio Mendes, em um encontro inédito, no Palácio das Artes. As apresentações ocorrem nos dias 23 e 24 de março, sábado e domingo às 20h.

O espetáculo integra a programação 2013 do “Teatro em Movimento”, viabilizado pelo Bradesco Seguros e Montenegro e Raman, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e Rubim Produções por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. “É uma montagem inesquecível. Emoção à flor da pele, porque Bibi nos dá um exemplo de excelência, na arte e na vida”, diz Tatyana Rubim, idealizadora do projeto Teatro em Movimento.

No palco, alguns momentos marcantes de sua carreira, como “Minha querida Lady” (adaptação de 1962 do musical “My fair lady”), “Alô Dolly” (de 1965, adaptação de “Hello, Dolly”), “Gota d’água” (Chico Buarque 1975), “Piaf, a vida de uma estrela da cancã”   (1983) e “Bibi Ferreira vive Amália Rodrigue” (2001), são interpretados unicamente por Bibi acompanhada pela orquestra. Ainda fazem parte do musical números inéditos, interpretações de canções brasileiras de compositores como Chico Buarque, Noel Rosa, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, e brincadeiras com óperas clássicas e textos nacionais.
A apresentação em Belo Horizonte será a única da turnê formatada com orquestra, sendo este um privilégio para os mineiros. Depois de sua aparição por aqui, em sua curtíssima temporada, a artista seguirá para Nova York.
Bibi Ferrreira
Completou 90 anos, em 2012. Herdeira do ator Procópio Ferreira (1898-1979), estreou ainda bebê nos palcos: com apenas três semanas de vida sumiu uma boneca que deveria entrar em cena nos braços da Abigail Maia, vedete da companhia, na peça “Manhãs de Sol”, escrita por Oduvaldo Vianna, seus padrinhos. Falaram: ‘Pega a filha do Procópio!’. Assim, Bibi entrou em cena e não parou mais. Entre seus sucessos estão comédias e musicais americanos, como My Fair Lady e Hello, Dolly!. Depois vieram Brasileiro, Profissão Esperança e os espetáculos com repertório de Amália Rodrigues e Edith Piaf. Há 30 anos se apresenta com canções de Piaf.

Sinopse
Em comemoração aos 70 anos de carreira da cantora e diretora Bibi Ferreira, o espetáculo “Bibi Ferreira, Histórias e Canções” conta a história da diva do teatro brasileiro através de um passeio por músicas que marcaram a vida da artista. Acompanhada pela Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Bibi interpreta clássicos que vão desde Edith Piaf e Amália Rodrigues, passando por Chico Buarque, Noel Rosa, Tom Jobim e Vinícius de Moraes.
Serviço

“Bibi – Histórias e Canções”, com Bibi Ferreira
Dias: 23 e 24 de março, sábado e domingo, às 20h
Local: Grande Teatro do Palácio das Artes - Avenida Afonso Pena, 1537 – Centro
Informações: : 3236-7400
Ingressos: Plateia I – R$ 120,00 inteira e R$ 60,00 meia entrada
                   Plateia II – R$ 100,00 inteira e R$ 50,00 meia entrada
                   Balcão – R$ 80,00 inteira e R$ 40,00 meia entrada
Desconto de 30% somente para clientes Bradesco Seguros, na compra de 02 ingressos. Válido até o encerramento do evento, para compra somente na bilheteria do Palácio das Artes. É obrigatória a apresentação da carteirinha do seguro em vigência e associados do cartão de crédito Bradesco Seguros (Visa e Amex), junto com a apresentação de documento com foto. A venda de ingresso não é cumulativa com outros descontos, está sujeita à lotação do local e as condições de pagamento de acordo com a bilheteria oficial do evento.
Informações para a imprensa: Jozane Faleiro - (31) 92046367 - contato@jozanefaleiro.com


Ficha Técnica “Bibi – Histórias e Canções”
Direção : João Falcão / Criação luz: Paulo César Medeiros / Operador de luz: Júlio Medeiros / Operador de PA e Monitor: Hugo Tolipan / Roadie: Edson Oscar / Camareiras: Neyde Galassi  / Visagem: Eloisa Gonçalves / Direção de Arte e Programação Visual: Alexandre Gama / Arte Final: Sandro Bezerra Viana / Fotos: Stúdio Prime / Administração Financeira: Karla Abinader / Produção Executiva:  Cleusa Amaral  / Criação do espetáculo, Redação de texto e Seleção do roteiro: Bibi Ferreira, Flávio Mendes e Nilson Raman/ Direção Musical, Regência e Violão:  Flávio Mendes / Piano: Itamar Assiere / Baixo: Zé Luiz Maia / Bateria : Paulinho Vicente
Produção Local: Rubim Produções / Co-realização , em Belo Horizonte- Teatro em Movimento e Montenegro e  Raman.

Ficha Técnica – “ORQUESTRA SINFÔNICA DE MINAS GERAIS”
REGENTE TITULAR - Marcelo Ramos/ REGENTE RESIDENTE - Gabriel Rhein Schirato/ SPALLA - Alexandre Kanji/ Primeiros Violinos: Eliezer Gomes, Miquéias Halluen, Luciene Villani, Christiana Lage Pereira, Marlene Martins, Boaz Rodrigues, Marcelo Morais / Segundos Violinos: Karine Patrícia de Oliveira, André Lodi, Sérgio Vargas, Olga Buza, Eliane Pacifico, Leise Renhe, Lucas Barreto, Hersilia Duarte / Violas: Alex Alves Evangelista, José Aristóteles Medeiros, Ronaldo Machado Araújo, José Eustáquio Babeto, Hélio da Costa Calixto, Glaucia Barros / Violoncelos: Firmino Cavazza, Antônio Afonso Gonçalves, Demósthenes Júnior, Sheila Sampaio Ribeiro, Sérgio Rabello / Contrabaixos:  Fernando César dos Santos, Ricardo Rodrigues, Rosdman de Souza Ferreira, Carlos Roberto Anastácio / Flautas: Sandra Meira, Pámela Schmitzer / Oboés: Gustavo Napoli, Vito Duarte / Clarinetas: Walter Júnio, Claudio Martins Simões /Fagotes:  Washington Vitalino, Clécio Araújo/ Trompas: Sergio Silva Gomes, Ailton Ramez, Sérgio Ricardo Martins, Rita de Cássia/ Trompetes: Renison Oliveira, Claudiomarcus Serafim, Antônio Efrahim Magalhães Berto/ Trombones: Helio Azevedo, Alaécio Martins/ Saxofone – Alto: Emiliano García Bolla/ Saxofone – Tenor: César Baracho, Alexandre Ferreira/ GERENTE: Flávio Tadeu/ Secretaria: Margareth Oliveira, Josiene Duarte/ Arquivistas: Rogério Vieira, Cláudio Starlino/ Montadores: Alexandre Santos, Wesley Gomes.

Nenhum comentário: