quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

CCBB RECEBE CASSIO SCAPIN COM O ESPETÁCULO “EU NÃO DAVA PRAQUILO”



Sucesso de crítica e público - vencedor do prêmio APCA na categoria ator, ganhador melhor ator Prêmio Qualidade Brasil e indicado Melhor ator no Prêmio Shell 2013 -, montagem relata fatos vividos pela atriz Myrian Muniz (1931-2004), influente personalidade do teatro brasileiro, e rememora a história do teatro e a arte de interpretar


O Ministério da Cultura e o Banco do Brasil apresentam o espetáculo “Eu Não Dava Praquilo”, de 08 a 19 de janeiro, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), espaço que integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade. Com roteiro de Cássio Junqueira e Cassio Scapin, que também atua sozinho no palco, a peça tem direção de Elias Andreato, cenografia e figurino de Fabio Namatame.

Neste monólogo cômico dramático, além de contar passagens da vida pessoal e profissional da atriz e diretora paulista Myrian Muniz a partir da sua biografia, o espetáculo pretende ser uma homenagem ao ofício teatral e sua importância como agente de transformação, tanto individual quanto social. Para o autor e intérprete Cassio Scapin, seria impossível contar a história dos palcos brasileiros sem falar na Myrian. Ele afirma que a atriz era dona de personalidade ímpar, o que conferiu a ela uma forma inigualável de representar. Suas passagens pelos palcos eram impregnadas do modo como encarava a vida e o ofício do ator. Cassio a vê como “impulsiva, intuitiva, e de uma generosidade hoje rara nos palcos”.

O espetáculo também relembra a história do teatro, seus ensinamentos, prazeres, decepções, obstáculos e relevância para toda sociedade. Para o diretor Elias Andreato,  Myrian Muniz é uma sacerdotisa do teatro e os seus ensinamentos marcaram profundamente e apaixonadamente muitos artistas. Segundo ele, “Eu Não Dava Praquilo” é uma forma de agradecimento e reverência pelo seu encantamento.

IMPRESSÕES
“O ator Cassio Scapin uniu forças com o dramaturgo Cássio Junqueira e o diretor Elias Andreato para montar a biografia dessa mulher de opiniões firmes. O resultado é um belo monólogo, marcado por sutilezas e repleto de subtextos.”
Dirceu Alves Jr. – Veja

“De fato, vemos Myriam. A Myriam de Cassio. E não somente porque Cassio consegue reproduzir inflexões de voz, cacoetes e modos de dizer da Myriam "de verdade". Mas, sobretudo, porque a essência de Myriam empresta o corpo, os trejeitos, a voz e o olhar de Cassio para se fazer presente.”
Maria Fernanda Vomero – Época

"Ontem fui ao teatro assistir a peça Eu Não Dava Praquilo, que conta a história da vida da Myriam Muniz. FOI UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA!!!!! O ator Cassio Scapin interpreta, sozinho, aquela mulher de forma tão espetacular e tão perfeita que tive a sensação de estar numa sessão espírita…"
Fábio Bibancos – Folha de S. Paulo


CURRÍCULOS

CASSIO SCAPIN
Cassio Scapin é um dos grandes atores brasileiros, formado pela Escola de Arte Dramática da USP participou de diversas telenovelas, filmes, minisséries e peças de teatro de sucesso. Desde 1984 trabalha como ator profissional e nos últimos anos esteve nas peças “O Mistério de Irma Vap”, com direção de Marília Pêra e “O Libertino”, com direção de Jô Soares. Na televisão é muito reconhecido pelo participação no Castelo Rá-Tim-Bum e atualmente é contratado da Record onde atuou na novela Ribeirão do Tempo. Recebeu o Prêmio Mambembe, o Prêmio Governador do Estado, o Prêmio Associação Paulista dos Críticos de Arte, o Prêmio Apetesp entre muitos outros. No currículo reúne participação em mais de 30 projetos no teatro, 12 na televisão além de concertos, longas e curtas metragens.

CÁSSIO JUNQUEIRA
Cássio Junqueira é um apaixonado pelas formas literárias, principalmente pela poesia. Desde 2004 publicou 9 obras entre as quais estão “A beleza fundamental de todos os lugares”, “Poeta no divã” e “Só Poesia”. O autor também realiza recitais nas principais livrarias e bibliotecas de São Paulo. Como poeta ganhou os prêmios “Segnalazione di merito” para o poema “Deus fala comigo” no Prêmio "Poesia, Prosa e Arti figurative" 2005 da “Accademia Internazionale Il Convivio” e o “1° Premio assoluto”, em 2012, na “35ª edizione del “Premio Letterario Internazionale Franco Delpino - Santa Margherita Ligure”, promovido pela ANPAI - Associazione Nazionale Poeti Autori e Artisti d'Italia.

ELIAS ANDREATO
Elias Andreato é um reconhecido ator e diretor teatral brasileiro que atua desde a década de 1970 no teatro, na televisão e no cinema. Estreou os monólogos “Diário de um Louco”, de Nicolai Gogol e “Van Gogh”, baseado nas cartas do pintor. Além disso, atuou nas peças “Lua de Cetim”, de Alcides Nogueira, “Trágico à Força”, de Anton Tchecov, “Édipo Rei”, de Sófocles, “Hello! Boy”, de Roberto Gil Camargo, entre outras. Com “Sexo dos Anjos”, em 1990, ganhou os prêmios Shell, Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e Apetesp de melhor ator.

FÁBIO NAMATAME
Fábio Namatame é um renomado figurinista e cenógrafo brasileiro formado em Publicidade e Propaganda pela FAAP. Depois de participar de um curso de expressão corporal e estudar com a atriz Denise Stoklos começou a atuar em espetáculos de mímica, para os quais ele mesmo criava os figurinos. A partir daí, realizou trabalhos de direção de arte em teatro, ópera, publicidade e cinema pelos quais recebeu os prêmios Shell, Apetesp, APCA, Mambembe, Cultura Inglesa e Sesc. Fábio criou o cenário e o figurino de inúmeras obras teatrais como: "Oscar Wilde", dirigida por Vivien Buckup, "Desmedéia", dirigida por Denise Stoklos, "Intimidade Indecente", dirigida por Regina Galdino, entre outras. Criou os figurinos das óperas "Carmen", dirigida por Carla Camurati, "O Guarani", "Bodas de Fígaro", "Falstaff" e "Romeu e Julieta", dirigidas por José Possi Neto, além das peças teatrais "Joana Dark", dirigida por José Possi Neto, "Cenas de um Casamento", dirigida por Vivian Buckup, "Pigmaleoa", dirigida por Jacques Lagoa, entre outras.

FICHA TÉCNICA
Roteiro: Cássio Junqueira e Cassio Scapin /Elenco: Cassio Scapin / Direção: Elias Andreato / Figurino e Cenário: Fabio Namatame / Iluminação: Wagner Freire / Trilha Sonora: Jonatan Harold / Assistente de Direção: André Acioli / Produção Executiva: Angela Dória
Fotos: João Caldas / Programação Visual: Denise Bacellar/ Produção Local: Rubim Produções
Direção de Produção:Fernanda Signorini

SERVIÇO
“Eu Não Dava Praquilo”, com Cassio Scapin
Duração: 60 minutos /Classificação: 16 anos
Local: Centro Cultural Banco do Brasil - Praça da Liberdade, 450 – TEATRO 01
Datas: de 08 a 19 de janeiro (quarta a domingo – sendo dia 07/01 estreia para convidados)
Horários:
quarta-feira a sexta-feira às 20h
sábado (duas sessões) às 18h e 20h
domingo às 19h

Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia) – na bilheteria do teatro
Informações: 31 3431-9400

Ouvidoria BB 0800 729 5678
Deficiente auditivo ou de fala 0800 729 0088

Obs: O CCBB BH não tem estacionamento.

Redes sociais:(twitter)/@ccbb_bh . (facebook)/ccbb.bh . (instagram)/@ccbbbh

Informações para a imprensa: Luz Comunicação

Coordenação: Jozane Faleiro: (31) 92046367 / contato@jozanefaleiro.com



Marcelo Ricco apresenta “Os homens querem casar e as mulheres querem sexo” na 40ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança



Visto por mais de 75 mil pessoas, espetáculo chega a seu quarto ano em cartaz


 “Os homens querem casar e as mulheres querem sexo”, com atuação de Marcelo Ricco, volta aos palcos para longa temporada na 40ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. A peça poderá ser vista em três diferentes espaços de Belo Horizonte:  Cine Theatro Brasil Vallourec, Sesc Palladium e no Teatro Colégio São Paulo da Cruz. Sozinho no palco, o ator interpreta Jonas, um rapaz que sonha em se casar e faz de tudo para encontrar uma mulher para dividir a intimidade de um casal.

Na peça, o público se diverte com a busca incessante do homem pela amada. Freqüentador assíduo de casamentos, de conhecidos e desconhecidos, Jonas briga por todos os buquês.  Depois de diversas tentativas frustradas, ele encontra seu lado feminino e desabafa com frases do tipo: “Estou cansado dessas mulheres que só querem me usar”; “Quero alguém para dormir de conchinha”; “Eu rezo toda noite pedindo a Deus uma pessoa bacana, íntegra, companheira, que não seja mentirosa e que não suma no final de semana”. O texto é do autor carioca Carlos Simões e Marcelo Ricco é dirigido por Carlos Nunes.

Serão dez apresentações durante a Campanha, onde as desventuras de Jonas poderão além de provocar muitos risos, dar uma forcinha para o encontro da cara metade. É que a interação do ator com o público e da plateia entre si, é um dos destaques deste espetáculo.

Nos quatro anos em que está em cartaz, a peça foi vista por aproximadamente 75 mil pessoas em todo o Estado. Somente em 2013, “Os homens querem casar e as mulheres querem sexo” esteve em 19 cidades: Pedro Leopoldo, Lagoa Santa, Araxá, Pará de Minas, Sete Lagoas, Curvelo, Tiradentes, Barão de Cocais, Diamantina, Viçosa, Arcos, Uberaba, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Juiz de Fora, Luz, Bom Despacho, Mateus Leme e Conceição do Mato Dentro.

O ator também já levou “Os homens querem casar e as mulheres querem sexo” para as cidades de Betim, Contagem, Divinópolis, Itabirito, Ipatinga, Mariana, Nova Lima, Nova Serrana, Ouro Branco, Perdões, São Gonçalo do Rio Abaixo, Timóteo, Itabira, Brumadinho, São João Del Rei, Caeté, João Monlevade, Nova Era, Ponte Nova, Sabará, Ouro Preto e Matozinhos.

O ator
Marcelo Ricco nasceu em Ribeirão das Neves. Estreou no teatro aos 25 e desde então, fez cursos de especialização no Centro Cultural Mauricio Murguel e participa de workshops. Com “Os homens querem casar e as mulheres querem sexo” recebeu o 8º Prêmio USIMINAS/SINPARC, Prêmio de Maior Público do Teatro Adulto 2010/2011. Atuou em “As Monas Lisas” de 2007 à 2010, de Wilson Coca, com direção de Fernando Veríssimo. Espetáculo que lhe rendeu o Prêmio de Melhor Ator Comediante / Humorista (Sesc/Sated – 2007), com o personagem Harold. Também foi cenotécnico na montagem. Outros trabalhos: “Nas Ondas do Rádio” (musical - 2002), texto e direção de Pádua Teixeira, fez 14 personagens coadjuvantes. Ator em “João e Maria” (2003), adaptação de Kênia Oliveira, direção de Pádua Teixeira. Ator em “Bela Adormecida” (2003), adaptação de Kênia Oliveira, direção de Pádua Teixeira. “Os Sete Gatinhos” (2005), de Nelson Rodrigues, direção de Pádua Teixeira, como ator e cenotécnico. “Ah, sempre te vi, mas nunca te amei” (2009), de Marcelo Caridade, direção de Helder Henrique, como cenotécnico. “Querido vou posar nua” (2009), de Bruno Mota e Daniel Alves, direção de Cláudia Bento, como assistente de direção.  Ator em “Uma aventura saborosa” (2009) de Wesley Marchiori, direção de Wesley Marchiori.


Ficha Técnica – “Os homens querem casar e as mulheres querem sexo”
Texto: Carlos Simões (RJ) / Elenco: Marcelo Ricco / Direção: Carlos Nunes / Assistente de direção: Christiano Junqueira / Voz in off: Heloísa Duarte / Cenário: Heleno Polisseni e Yuri Simon / Iluminação: Yuri Simon / Figurinos: Marcelo Ricco / Fotografia: Ludmila Loureiro / Projeto gráfico: Marcio Miranda / Assessoria de imprensa: Jozane Faleiro / Produção Executiva: Carol Fonseca


Serviço - “Os homens querem casar e as mulheres querem sexo"
Cine Theatro Brasil Vallourec  (Grande Teatro)
17 a 19 de janeiro – sexta e sábado às 21h e domingo às 19h
17 a 19 de fevereiro – segunda à quarta às 21h

SESC Palladium (Grande Teatro)
21 de janeiro – terça às 21h

Teatro Colégio São Paulo da Cruz – Barreiro (vendas de ingressos Via Shopping Barreiro)
31 de janeiro, 01 e 02 de fevereiro – sexta e sábado às 20h30 e domingo às 19h
Preço: R$ 12,00 - nos postos de venda SINPARC e R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia-entrada) na bilheteria do teatro
Classificação: 14 anos
Duração: 70 minutos
Informações: (31) 2125 6810 / 7564-9817 (TIM)

Informações para a imprensa: Luz Comunicação

Coordenação: Jozane Faleiro: 
(31) 92046367 / contato@jozanefaleiro.com

Espetáculo "Absurdo" faz rir com situações do dia-a-dia




Vista por mais de 4 mil pessoas na última edição da Campanha de Popularização do Teatro e da Dança,   a peça "Absurdo" volta à programação da 40ª edição. São oito personagens cômicos inspirados no cotidiano, criados e interpretados por Thiago Comédia

O sonho de ser palhaço levou o ator mineiro, Thiago Comédia, a desenvolver seu talento cômico e investir em um show de humor que estará na programação desta 40ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. “Absurdo”, espetáculo criado pelo humorista, pela segunda vez faz parte da Campanha. A estreia foi na edição passada e, nos dois meses de temporada, levou cerca de quatro mil pessoas ao teatro. Desta vez, “Absurdo” poderá ser vista em três espaços da cidade: Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil, Shopping Estação BH e Teatro Alterosa, de 13 de janeiro a 26 de fevereiro.

Vencedor do Festival Nacional de Piadas do Show do Tom, Thiago Comédia apresenta em “Absurdo” oitos personagens, figuras populares inspiradas no dia-a-dia do ator. O show tem direção de Isabella Michielini, atriz e cantora formada pelo CEFAR/Fundação Clóvis Salgado, vencedora do prêmio Sinparc de melhor atriz em 2010, e indicada ao prêmio SATED e SINPARC em 2009 e 2011.  A supervisão é do renomado ator e humorista Paulo Pioli, do programa A Praça é Nossa. Dono do bordão “Êta Fuminho baum”, e com mais de 10 anos de carreira no SBT, Pioli traz um pouco de sua experiência para o projeto. “Absurdo” conta ainda com a participação especial do ator Thiago Neuhaus.

Personagens
A plateia é recepcionada pela aeromoça “Marly”, que devido ao baixo custo das passagens aéreas ensina as diferenças entre viajar de avião e de ônibus. Outras criações como o “Seu Toinho”, pedreiro contratado para a reforma do Teatro, bate um papo descontraído com o público achando que são operários que vieram para entrevista de emprego. “Odilon o Hipocondríaco”, viciado em remédios, só fala de doenças e tem fobia em falar em público. “Cigana Zoraide”, uma picareta de mão cheia, derreteu a medalha de honra ao mérito do filho para fazer seu dente de ouro e enganar as pessoas em suas consultas. “Lindoval o Personal” ensina a plateia a perder peso comendo chocolate, pizza, lasanha, feijoada, hambúrguer, strogonoff, chouriço e picanha mal passada. “Maria Bairro Betânia”, é moradora do Bairro Betânia, tranquila, calma e adora cantar suas músicas de Funk. “Herold o Espermatozoide”, um romântico e galanteador que saiu do corpo humano para falar de sexo e explicar melhor as posições do Kama Sutra e o “Nariganu Huck”, que desafia a plateia com palavras para serem soletradas no palco.

Para dar vida ao texto, o cenário do espetáculo é modificado com a entrada de cada personagem. Usando o recurso da projeção, diversas cenas e situações divertidas interagem com o ator.

Ficha Artística e Técnica
Produção: Thiago Comédia Produções
Texto: Thiago Comédia
Direção: Isabella Michielini
Supervisão: Paulo Pioli do programa Humorístico: A Praça é Nossa do SBT.
Elenco: Thiago Comédia e Tiago Neuhaus
Figurino: Fred Mozart e Thiago Comédia
Cenografia: Gustavo Kangussu
Sonoplastia: Adeilson Rezende (DJ The)
Projeção: VJ Wander

Serviço
Janeiro:
13, 14, 15, 20, 21, 27 e 28 às 20h no Cine Theatro Brasil Vallourec ( Teatro de Câmara)
22 e 29 às 20h30 no Shopping Estação BH
30 e 31 às 21h Teatro Alterosa

Fevereiro:
De quinta à domingo no Teatro Alterosa
Quinta, sexta e sábado às 21h e domingo às 19h
Obs: Não haverá espetáculo nos dias 27 e 28 de fevereiro

Preço: R$ 12,00 - nos postos de venda SINPARC


Informações para a imprensa: Luz Comunicação
Coordenação: Jozane Faleiro: (31) 92046367 - 88280906